quinta-feira, 22 de março de 2018

Bolo de Ouro da Minha Mãe


Mãe há só uma! A nossa: versátil, multiusos. Esquisita, é bom que não se esqueça.
Não, não é verdade que haja uma mãe que dê colo. E uma outra, diferente, que repreenda. E outra, ainda, capaz de proteger. Mãe há só uma! A nossa: versátil e multiusos. Esquisita, é bom que se não esqueça! Se bem que tão entranhada no coração duma criança que, apesar de todos os seus defeitos, seja um mistério por que motivo nunca se passe sem ela!

Afinal, é ou não verdade que as mães têm uma autoestima revista tão em alta que, sempre que um filho lhes diz: "Não gosto de ti!", elas não só nunca o levam a sério como dão a entender que esse é o lado para onde dormem melhor (quando, logo a seguir, "arrumam" uma criança com um comentário que já é um clássico de todas as mães: "Não faz mal!... Eu gosto à mesma de ti!...")?

(Eduardo Sá)



A minha mãe tinha umas mãos de ouro, essa é a verdade. Tudo o que ela fazia saia bem, bonito, cheiroso, delicioso, perfeito... como é que ela conseguia essa proeza? Porque era a mãe e nós sabíamos que tudo ia correr bem só porque Ela estava ali. Hoje recordo com nostalgia e muita saudade esses dias.
Fui no livrinho de receitas da minha mãe, Maria Teresa de seu nome, e resolvi partilhar este bolinho, nesta data marcante e triste. As saudades estão sempre presentes, mas as memórias afectivas também e são elas que me consolam em dias menos felizes.
Este era um clássico lá em casa, a par do bolo de iogurte e do bolo fofo de chocolate
Simples e delicioso para um lanche ou um serão à beira da lareira. Pode sempre optar por fazer uns Queques de Ouro, ficam igualmente fantásticos.


Ingredientes:
3 chav. de farinha trigo
2 chav. de açúcar
1/2 chav. de manteiga derretida
1 chav. chá de leite (usei vegetal)
4 ovos
1 c. sopa de fermento
1 limão (raspa)


Preparação:
Pré-aqueça o forno a 180º.
Bata as gemas com o açúcar e a manteiga até formar uma massa homogénea. Junte o leite e mexa.
Adicione a farinha e o fermento e envolva. Bata as claras em castelo e envolva ao preparado anterior com cuidado. 
Deite numa forma (ou nas formas de queques, se preferir).
Leve ao forno cerca de 40 minutos.






Deliciem-se... e bom apetite!

11 comentários:

  1. Olá Isabel: não há nada que se compare com a comida/ doces da mãe.Penso que aquele ingrediente especial chamado Amor faz toda a diferença. O teu bolinho está lindo, com aquele aspeto caseiro que nos transporta à infância.
    Bjn
    Márcia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Márcia,
      Esse é o ingrediente secreto das mães 😉 o Amor que dedicam a cada coisa que fazem
      Obrigada por estares aqui
      Bjns

      Eliminar
  2. Tem aquele aspecto de bolo caseiro que eu tanto gosto.
    Ficou lindo e com toda a certeza uma delicia.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada São
      Ficou muito bom, é perfeito para um lanche
      Beijinhos

      Eliminar
  3. Isabel,
    Que lindas as tuas palavras! Sei tão bem aquilo que sentes. É tão verdade que mãe há só uma e felizes dos que ainda podem abraçar as suas mães. Elas são tudo e claro que têm mãos de ouro, tudo o que fazem, aos nossos olhos, sai sempre perfeito.
    Esse bolinho deve ser delicioso, a cor e a textura não enganam e aquela crosta linda a pedir para ser devorada. Colocaste sementes de sésamo?! Gosto da ideia.
    Um beijinho e um abraço apertado.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Célio,
      É verdade, as mães têm mãos de ouro. O amor e a entrega que dedicam aos seus, faz delas anjos perfeitos.
      Sim, coloquei sementes de sésamo, porque gosto muito, mas a receita original não leva.
      Obrigada por estares aqui
      Bjns

      Eliminar
  4. De facto tudo o que as mães fazem é perfeito, não é?! Mãe é Mãe, ponto! E que ninguém se atreva a dizer o contrário! Fiquei com o coração apertado ao ler o teu post. Ainda tenho a minha mãe viva, mas morro de medo de a perder. O meu pai já partiu há 15 anos. Custou muito, não posso negar. Mas tenho a certeza que perder uma mãe é mil vezes mais difícil. Mãe é aquele ser especial...
    Gostei do teu bolo, e um dia destes vou fazer! Adoro receitas de família e quando são receitas de mãe vale sempre a pena fazer. Um beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Custa sempre muito e não há tempo que ajude a saudade, ela estará sempre connosco.
      Mas ficam as recordações para atenuar a dor.
      Obrigada pelo carinho.
      Beijinhos

      Eliminar
  5. Isabel, e as claras? São batidas em castelo? Bjinhos :)

    ResponderEliminar
  6. Bom dia!
    Nada acontece por acaso, navegando encontrei seu blog e amei!
    Estou seguindo e com certeza voltarei mais vezes.
    Lhe convido a conhecer os meus, deixarei os links, será um prazer lhe ver seguindo.
    Que o Anjo do Amor preencha teu coração! Que o Anjo da Luz te ilumine espalhando luzes para todos que cruzarem teu caminho.
    Abraços
    da amiga Lourdes Duarte

    https://filosofandonavidaproflourdes.blogspot.com.br/
    http://professoralourdesduarte.blogspot.com.br/
    http://lourdesduarteprof.blogspot.com.br/

    Amiga, suas delícias me deixaram com água na boca!

    ResponderEliminar